Project Description

Camila Cristina Barcelar

Estado Bahia (BA) / Bairro / Comunidade Feira de Santana

"“Eu tenho muitos sonhos, eles pelo menos nunca me faltaram”"

Aos 21 anos, Camila tem um sorriso fácil, leve e simpático. Por trás dele, a jovem coleciona privações de direitos que a levam hoje para a condição de mãe, moradora de favela e chefe de família sem renda fixa para as despesas com seu filho, o pequeno Enzo, de apenas 4 meses.

Nascida em Feira de Santana, na Bahia, veio ainda criança para São Paulo com a mãe e mais quatro irmãos. Sem condições de manter todos os filhos, sua mãe foi obrigada a deixar um casal de gêmeos com uma família amiga. “No fundo ela sabia que não ia conseguir dar uma boa condição de vida para eles. As mães sabem disso”, diz segurando o filho no braço, para quem sonha com um futuro de oportunidades.

Sem incentivo e sem encontrar sentido no estudo, Camila abandonou a escola na sétima serie e ainda não conseguiu retomá-la. “Sonho em me formar no ensino médio, fazer cursos para cabelereira, trabalhar com carteira assinada e depois em abrir um salão para mim. Eu tenho muitos sonhos, eles pelo menos nunca me faltaram”.

Realizá-los, no entanto, pode não ser tão simples: Camila vive hoje sozinha com o filho na Favela dos Gusmões, na zona central de São Paulo. Seu marido e pai de seu filho, com quem vive há 2 anos, foi preso há 10 meses e tem a comprimir ainda uma pena 5 anos. Para manter a si e ao filho, ela trabalha vendendo açaí em frente a sua casa, em um carrinho emprestado por uma parente. “É um dinheiro muito instável. Quando faz frio, por exemplo, eu não vendo nada”, diz.

A saída acaba sendo buscar ajuda com a irmã, já que a mãe faleceu há alguns anos, e com a família do marido, com quem divide o terreno na favela dos Gusmões. Camila foi escolhida como personagem do Miséria que Habita pois, sem renda para manter a si e ao filho, ambos estão vulneráveis a insegurança alimentar, a dificuldades de seguir com os estudos e a violência urbana.

Já foi arrecadado a quantia de R$23.565,00 para ajudar
Camila Cristina Barcelar.
QUERO AJUDAR

Vídeo da entrevista

Áudio da entrevista