Project Description

Sueli de Souza Floriano

Estado São Paulo (SP) / Bairro N/D / Comunidade N/D

"“Não botaram fé que eu não ia mais usar droga para cuidar dos meus filhos”"

O dia começa cedo para Sueli, de 38 anos. Ela pula da cama, improvisa um café da manhã com aquilo que tem na geladeira, e começa a luta: junta as caixas de bala que guarda em sua casa, na Ocupação Mauá, e vai vende-las em semáforos no centro de São Paulo. Depois de inúmeros “nãos” no mercado de trabalho, essa foi a alternativa que encontrou para pagar as contas.

Grávida do quarto filho, carrega consigo um passado de desafios e falta de oportunidades: nascida no Itaim Paulista, bairro marcado por altas taxas de violência, perdeu a mãe assassinada aos 9 anos de idade. Passou a morar com a avó, mas aos 15 anos, sem perspectivas, saiu de casa e acabou vivendo nas ruas de São Paulo, onde começou a usar drogas. A partir dai foi um longo caminho de superação para deixá-las para trás.

Isso só aconteceu há seis anos, quando conseguiu encontrar nos filhos a força que precisava. “Assim que ganhei minha filha mais velha, a Bia, deixei ela com a madrinha. Não moramos mais juntas. Fiquei gravida de novo da Ana Clara, minha filha do meio, e quando ela nasceu ficou um mês na incubadora porque eu fumava muita pedra. Ela nasceu sem cor. Ai quando ela saiu do hospital eu não tinha para onde ir e fui acolhida na ocupação. Desde então consegui sair das drogas por conta própria, sem ajuda de ninguém, pelas minhas filhas.”

Sueli vive hoje com filha Ana Clara e o caçula Felipe, de 2 anos e 7 meses. Seu marido, pai do mais novo, está preso, e ela sozinha sustenta a casa enquanto aguarda a chegada do quarto filho. “Não botaram fé que eu não ia mais usar drogas para cuidar dos meus filhos”. Sueli foi escolhida como personagem do Miséria que Habita pois, sozinha dificilmente ela encontrará outra forma de sustentar a família e sem poder suprir o básico para os filhos, o risco de voltar para as drogas e iminente.

Já foi arrecadado a quantia de R$23.565,00 para ajudar
Sueli de Souza Floriano.
QUERO AJUDAR

Vídeo da entrevista

Áudio da entrevista